Confira as últimas notícias do CPBR

Algumas semanas atrás foi divulgada uma nova entrevista da cantora e compositora, Christina Perri. Na entrevista, Perri nos comove falando sobre sua doença mental e sobre vícios. Confira a baixo a tradução da matéria completa para o site The Mighty.

O que ajuda Christina Perri a passar pela depressão quando a vida é “demais”
A primeira lembrança de Christina Perri sobre a ideia de suicídio foi de quando ela tinha apenas 8 anos- uma experiência que afetou a cantora/compositora sua vida toda. Agora suas batalhas com ansiedade, depressão e vícios inspiram ela a escrever músicas que muitos que passam por isso as consideram hinos. Em um momento difícil na minha luta com um disturbio alimentar, um bom amigo meu tocou “I Believe”, e isso se tornou um dos meus hinos de recuperação. Para mim, essa música captura perfeitamente o ponto de encontro dessa luta, a força e a sensação de que “talvez eu realmente vou ficar bem.”

Perri, agora com 30 anos, noiva e esperando seu primeiro filho, recentemente se abriu em uma entrevista com The Mighty sobre terapia, como seus pais e noivo lidam com sua saúde mental e como, quando tudo mais falha, música a ajuda a sair da escuridão.

AO INICIAR TERAPIA QUANDO CRIANÇA:
Como muitos que lutam com sua saúde mental quando criança, Perri cresceu se sentindo geralmente “melancólica e peculiar”, mas não entendia que estava lutando com a depressão e ansiedada até estar mais velha. Ela se lembra, como criança, de estar “apaixoanda por sua família” mas também de sentir muita tristeza. Mais tarde, ela lutou com o vício.
Sua mãe reconheceu que havia algo errado enquando escolhiam um presente de natal para o professor do primário. “Eu me lembro de ameaçar me matar em uma loja de departamento por algo que minha mãe queria comprar,” Perri contou para o The Mighty. “Eu quis me jogar pelas escadas rolantes.
Sua mãe colocou ela na terapia logo depois, e 22 anos depois ela continua indo. “Eu amo terapia. Eu sou uma grande defensora disso,” ela disse, embora ela adimita que não estava disposta sobre ir até os 17 anos.

AO FALAR COM SEUS PAIS SOBRE DOENÇAS MENTAIS:
Apesar de seus pais colocarem-na em terapia depois dela expressar seus pensamentos suicidas, Perri disse que sua mãe realmente não entendeu sua luta até bem mais tarde, e seu pai ainda tem dificuldade em entender:
Minha mãe ficava, ‘O que tem de errado com voce?’ Ela não sabia como lidar comigo. Meu pai é da Itália, e ele ainda não entende a cultura americana… Ele dizia, ‘Fique boa, saia disso.’ Os dois são tão gentis e amáveis, mas eles simplismente não se conectam a isso.
Ela e seus pais estiveram no Al-Anon, um grupo de apoio para familiares e amigos daqueles que lutam com o alcoolismo. Perri disse que a linguagem usada no grupo ajudaram eles a se comunicar sobre sua saúde mental.

MEDICAÇÃO E LIDANDO (com a doença):
Perri tomou antidepressivos entre 10 e 14 anos de idade, mas ela não gostava da maneira que eles a faziam se sentir.
Me deixavam meio adormecida. Me lembro de não escrever e não gostar desse sentimento,” ela disse. “Mas quando eu encontrei a escrita e música, isso fez com que eu me sentisse melhor do qualquer medicação que tentei. Realmente me fez sentir melhor do que qualquer coisa. Eu estava tipo, “Ok, eu posso com a vida.
Ainda assim, mesmo com este novo mecanismo de enfrentamento, a depressão continuou. “A vida era muito para mim. Eu não me conectei com meus pares“, lembrou Perri. “Eles simplesmente não estavam tendo o peso que eu queria e eu simplesmente não tinha uma palavra para isso“.

CONTANDO PARA SEU NOIVO, PAUL, SOBRE SUA DOENÇA MENTAL:
Eu estava tão nervosa no momento em que o Paul descobriu que eu não sou ‘normal’. Paul não tem depressão, alcolismo ou ansiedade. Eu sempre tive vergonha da minha doença mental minha vida toda. Eu percebi que sou sortuda por ser uma compositora… mas ao mesmo tempo está enraizado em mim ter vergonha. Mas Paul não fugiu. Ele estava tão curioso e tem sido o melhor que você possa imaginar para uma pessoa como eu. Aberto e disposto a fazer qualquer coisa que eu precise. Quando eu disse a ele, ele falou, ‘Eu te amo mais.’
Perri disse que Paul não tentou consertá-la, em vez disso, ele reconhece suas lutas, sugere que ela faça algo quando está se isolando ou, às vezes, apenas faz uma caminhada ao redor do quarteirão com ela.

EM RECUPERAÇÃO E UMA MENSAGEM PARA AQUELES QUE ESTÃO LUTANDO:
Quando eu disse a Perri sobre minha conecção pessoal com “I Believe”, ela me agradeceu e contou quem a inspirou:
Eu entendo isso. Se você precisa disso naquele momento, é uma mudança de vida. Jason Mraz foi a pessoa para mim… Todos nós precisamos de lugares para colocar coisas. Para mim, é compor. É uma recuperação, é terapia. Essas são as coisas que me ajudaram a passar pela vida, mas eu continuo sendo aquela garota de 8 anos que anda por ai com todo esse peso.”
Quando perguntamos o que ela tem a dizer para aquele que sentem que lutar com doença mental é de mais, ela disse:
É temporário. Sempre é temporário. Aquele sentimento de queda livre sempre é temporário… Algo acontecerá que vai mudar minha percepção. É a prática de dizer, ‘Isso é horrível, mas você vai superar. É isso que salva a vida das pessoas.’

Fonte| Tradução: Fernanda Billerbeck

No dia 19 de Agosto, a cantora e compositora, Christina Perri completou mais um ano de idade. Agora com 31 anos, Perri está prestes a começar sua tão sonhada família, noiva do apresentador Paul Costabile, Christina espera seu primeiro filho! Assista abaixo nossa homenagem para ele neste ano.

No dia 5 de Agosto, as 13:05, Christina Perri anunciou no seu twitter que está esperando seu primeiro filho do apresentador Paul Costabile. Dias antes, no dia de 25 de Julho, ela respondeu uma fã que a cobrava por música nova, confira o print:

Eu tenho uma ótima razão para o atraso. Irei compartilhar logo :*

Adicionamos em nossa galeria todas as fotos da gravidez compartilhada até agora! Acreditamos que até Fevereiro o bebê deve nascer!


GRAVIDEZ

É fã de PLL e da Christina Perri? Então você deve ter surtado ontem no último episódio da série Pretty Little Liars. Foram tocadas duas músicas da Christina durante o episódio, a injustiçada, Miles do álbum Lovestrong e One Night do segundo álbum, Head or Heart. Abaixo vocês podem ver o vídeo com as  músicas tocando ao fundo. Mas atenção, SPOILER ALERT!!

Christina Perri está namorando Paul Costabile há mais de um ano, apesar de terem se conhecido em 2013, devido a um vídeo que Paul gravou com Christina. Paul é host do The Hollywood Reporter, conhecido por entrevistar diversas celebridades. Quando Costabile e Perri se conheceram, ele ainda trabalhava no iHeart Radio. Abaixo vocês podem ver o vídeo fofo que eles gravaram há anos atrás.

No dia 21 de Junho, ontem, Christina Perri foi pedida em casamento por Paul, e ela aceitou! Perri postou a novidade em seu twitter.


“Paul me pediu em casamento essa noite e eu disse sim!”

Logo em seguida, Christina postou a foto do anel em seu instagram.

Mais tarde, no instagram, Paul postou uma foto dos dois com um texto lindo.


“Eu soube que queria pedir a essa garota para se casar comigo no dia em que ela entrou na tela verde para uma entrevista, quase quatro anos atrás. Eu finalmente perguntei a ela essa noite, bem aqui, e ela disse sim!!!”

Sobre a tela verde que Paul diz no texto, ele se refere a chroma key que foi usado para fazer o vídeo que está no início do post, onde eles se conheceram.

Christina Perri está oficialmente noiva!! No twitter ela recebeu felicitações dos fãs e de amigos como Colin O’Donoghue‏ e Hayley Williams. Estamos muito gratos por ela ter compartilhado isso conosco. Agora só aguardar as novidades.

Há 5 anos, Christina Perri tirava de sua vida tudo o que podia lhe fazer mal. Hoje, Christina completa mais um anviersário de sobriedade. E para complementar esse post, traduzimos para vocês um Q&A feito por ela há algumas semanas em seu twitter, onde ela fala sobre saúde metal na hashtag #BellLetsTalk.
Bell é uma operadora de celular de fora, e eles criaram esse projeto para estimular as pessoas a falarem e a pedirem ajuda quando se trata da saúde mental. Então, Perri tirou 20 minutos do seu tempo naquele dia, para responder perguntas relacionadas a isso e disse “eu estive na terapia por 22 anos e tenho orgulho disso“. Confira a baixo.

Por que você acha que as pessoas fazem da saúde mental um tabu?
Acho que é porque as pessoas estã assustadas pelo o que elas não podem ver. Saúde mental é invisível e ás vezes vergonhosa, mas não deveria ser!

Como você teve seu primeiro diagnóstico?
Eu tinha 8 anos e era suicida. Eu comecei a terapia e disseram que eu tinha depressão. Quando tinha 23 anos eu descobri que era alcoólatra também.

Terapia ajuda? Eu não sei como me sinto sobre isso.
Sim! Salvou a minha vida completamente, muitas e muitas vezes. Eu nunca desisti de mim mesma e do meu desejo de ser melhor.

O que você faz para tentar ficar o mais feliz e pacífico possível?
Todo dia é diferente. É como acordar com amnésia e eu esqueço totalmente sobre o que tem de errado. Terapia, orações e meditação funcionam para mim.

Como você sabe que encontrou o terapeuta perfeito? Já estive em pelo menos 10 e nunca encontrei a pessoa certa.
Acho que tive uns 10 também. Você tem que continhar procurando!

Por que você começou a fazer terapia?
Eu tinha 8 anos de idade, então não tinha escolha. Eu fui porque meus pais me fizeram ir, mas então eu comecei a gostar. Era seguro!

Eu acho que sou bipolar, mas não sei como saber isso, você sabe como posso descobrir e onde ir?
Não se auto diagnóstique. Vá falar com alguém.

Eu tentei fazer terapia diversas vezes, mas eu fico super ansiosa. Alguma dica?
Continue procurando pela pessoa certa.Você não se sentirá confortável no início se você não fazer certo. Continue tentando!

Como você tratou sua ansiedade?
Eu usava medicamentos dos 12 aos 17 ans, mas não gostava muito, então eu encontrei maneiras alternativas para tratar minha depressão e ansiedade.

Como você lida com ansiedade e o que ajuda a clarear sua mente durante períodos estressantes?
Oração, meditação, escrever, dar uma pausa, estar em serviço e conectada com os outros, são coisas que funcionam para mim.

Você ainda vai a terapia?
Sim! Não acho que eu vá parar algum dia!

Estou sofrendo de ansiedade desde Junho. Estou indo na terapia mas não está funcionando. O que eu faço?
Continue sendo honesta com eles e com você mesma. Levou um longo tempo para eu me abrir, mas quando eu fiz isso tudo começou a funcionar.

Com este ambiente político, frio e implacável, quais são seus pensamentos para manter a depressão “controlada”?
Eu só tenho controle de como eu reajo ao mundo, eu não tenho controle sobre o mundo em si, então eu continuo trabalhando em mim e isso ajuda.

Tradução: Fernanda Billerbeck

Atualizamos nossa galeria com um photoshoot desconhecido que Christina Perr fez recentemente, assim que mudou o visual. Confira.


 #1 DESCONHECIDO

Christina Perri, no dia 22 de Janeiro fez um Q&A em seu twitter. Mais uma vez, Perri falou muito sobre o processo do terceiro álbum. Selecionamos as melhores perguntas e respostas, confira abaixo.

Quando sai o terceiro álbum?
Eu realmente ainda nem comecei. Estou escrevendo e vai levar vários meses, com certeza.

Como está indo o terceiro álbum?
Está bom. Tenho várias músicas que estão OK, um par de músicas realmente boas e estou esperando que as ótimas cheguem logo.

Sobre o que são as letras, até agora? (pergunta sobre o terceiro álbum)
Essa é uma pergunta complicada de responder. Não há tema ainda, apenas a verdade. São histórias verdadeiras.

Queria uma nova música sua!
Estou trabalhando nisso!

Tem algo que você esteja procurando?
Escrever, gravar e finalizar um álbum que eu realmente acredite. Única coisa na minha lista DO QUE FAZER esse ano.

Podemos ter um single mais para frente? Mesmo que esteja a um ano de distância?
Claro! Não tenho certeza se será este ano, tudo depende das fadas mágicas da composição se mostrarem ou não. Mas eu estou aparecendo.

Você pode dar algum spoiler sobre o terceiro álbum?
Eu não tenho nenhum ainda.

Você continua escrevendo novas músicas?
Sim! Tenho certa de 20 para escrever até ter alguma ideia do que vai acontecer com o terceiro álbum. É um processo longo porque é real.

Você vai sair em turnê logo?
Não. Estarei escrevendo e gravando pelo ano todo, certeza.

O que podemos esperar para o próximo álbum?
Minhas entranhas.

Qual sua coisa favorita de fazer quando você está se sentindo chateada?
Estou sempre sentindo. Tente aprender o que fazer com isso nos dias de hoje. Se é doloroso de qualquer maneira, eu escrevo. Se for bom, eu tento segura-lo.

Qual sua música favorita?
Agora são as músicas novas do John Mayer. Não paro de repeti-las.

Como você mantém seu cabelo tão incrível?
Eu não sou a melhor fazendo meu próprio cabelo. Quebro algumas regras por não querer fazê-lo sozinha as vezes.

Ultimamente qual o melhor filme que você viu?
Eu realmente amei Rogue One e A Chegada.

Se você pudesse dizer 3 palavras e todo o mundo pudesse ouvir você, quais seriam e por que?
“Eu amo você”, porque isso pode fazer todo o mundo se sentir amado e então as pessoas poderiam reagir com amor e não medo. Como uma reação em cadeia.

O que tem sido sua coisa favorita sobre Nova Iorque?
A energia nas pessoas.

Melhor conselho para um aspirante a músico?
Seja você mesmo. Não deixe que ninguém diga que você não pode fazer isso. Diga a verdade e seja gentil.

Você gostaria de fazer um filme de terror?
Não. Eu não assisto filmes de terror.

Qual sua coisa favorita sobre 2017 até agora?
O sentimento. Como se algo bom estivesse chegando.

Você já parou de ficar doente? Parece que você sempre esta.
Estou ótima, espero que fique bem por um tempo, eu estive doente 12 vezes em 2016! Obrigada por perceber hahaha

Como você sabe que uma música está pronta?
Tem um sentimento de que está terminada. Você tem que procurar por isso, mas sempre chega. Se não chegou é porque não está terminada.

Como estão os “The Booms”(membros da banda)?
Eles estão ótimos. Eu sinto falta deles todos os dias mas nós nos mandamos mensagens quase todos os dias também.

De onde você recebe suas inspirações?
Emoções, experiências e o verdadeiro desejo de criar, eu acho.

Tradução: Fernanda Billerbeck